O Projeto Orientalismo é um projeto de Extensão (UERJ, 2020) que conjuga atividades de pesquisa e divulgação. Publicamos artigos acadêmicos, livros e ensaios, bem como disponibilizamos para consulta em meio eletrônico, de forma absolutamente gratuita, materiais e fontes sobre História e Cultura Asiática, notadamente das Civilizações do Extremo Oriente. Nosso objetivo é a construção de um diálogo intercultural com os modelos historiográficos asiáticos, tendo em vista suas características particulares, suas especificidades e diferenças em relação aos modelos ocidentais. 
A proposta do Projeto Orientalismo é realizar uma divulgação introdutória, abrangente e científica sobre as Culturas Asiáticas, fornecendo instrumentos para práticas pedagógicas e pesquisa. Em nosso país há uma grande defasagem em relação à pesquisa das civilizações orientais, que tem se reproduzido no contexto acadêmico de forma reincidente. O nosso desconhecimento a respeito do pensamento, dos costumes, hábitos e práticas dessas culturas tem feito repetir inúmeros erros de avaliação sobre a originalidade das mesmas, nos lançando a todo tipo de preconceito em relação ao assunto.

Como afirmamos inicialmente, o intuito de constituir este Projeto visa principalmente fornecer materiais que permitam aos acadêmicos aperfeiçoarem-se num campo extremamente rico da história. Observamos que o projeto já nasce com características flexíveis e interdisciplinares, permitindo o diálogo e a participação de outras áreas de saber que se relacionem diretamente com o problema das dinâmicas culturais.

Veja nossas Publicações
Conheça o trabalho do Prof. André Bueno em Sinografia
Veja também: SinologiaIndologia, Extremo Oriente, Estudos Orientais no Brasil e o site Antiguidade Oriental
Vem aí o 5o Simpósio de História Oriental!
Veja em
www.simporiente2021.blogspot.com.br




Ciclo de Palestras em Antiguidade Oriental da UERJ, veja aqui:
Veja a programação do Seminário de Estudos Asiáticos da UERJ:


[2021]]

Prof. Severino Cabral na Semana de Estudos da Ásia da UERJ, 2019



[veja o artigo 'Chinese Studies in Brazil']